18768399_1613924761974891_1213150726201404153_o

A União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias (UNICOPAS) tem novo presidente. Arildo Mota Lopes, diretor de relações internacionais da UNISOL Brasil, assume a liderança da instituição no lugar de Luiz Possamai. A mudança de direção é feita de forma rotativa entre as lideranças das entidades que compõem a UNICOPAS. Possamai, presidente da União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (UNICAFES), é agora tesoureiro.

A UNICOPAS hoje reúne cerca de 2.600 cooperativas do campo e da cidade, representando 850 mil associados. Além da UNISOL e da UNICAFES, integram a entidade a Confederação das Cooperativas da Reforma Agrária do Brasil (CONCRAB) e a Central UNICATADORES.

Completam a nova direção da UNICOPAS Francisco Dalquiavon (CONCRAB) como vice-presidente e Aline de Souza (UNICATADORES) como secretária geral.

Para Arildo, há vários desafios a serem enfrentados, e o primeiro deles é trabalhar em conjunto com as organizações que representam o setor para acelerar a tramitação dos projetos de incentivo e apoio ao cooperativismo solidário: “é preciso também promover uma agenda positiva com o setor para dar maior visibilidade às ações e conquistas, além de estabelecer uma pauta estratégica com o mundo sindical para somarmos esforços em pautas da classe trabalhadora”, avalia. Outro ponto destacado por ele é a necessidade de retomar o diálogo com o BNDES e com bancos estatais para apresentar uma agenda de inclusão social a partir da economia solidária e cooperativista.

 

Reforço com a UNICATADORES

A Central UNICATADORES, que que reúne cooperativas de catadores de recicláveis de todo o Brasil, se uniu à UNICOPAS esse ano. “Nossos desafios são praticamente semelhantes aos dos outros segmentos: falta de políticas públicas específicas para a Economia Solidária, falta de compromisso dos gestores públicos com a destinação final dos resíduos sólidos no Brasil e o não reconhecimento dos catadores como prestadores de um serviço fundamental, que gera inclusive uma economia significativa para os cofres públicos. Mas eles nos veem como problema, não solução. Com a atual política de resíduos sólidos temos oportunidades, mas também muitos desafios. Precisamos pensar em mudar o modelo de produção de embalagens, pensar em reuso e destinação adequada desde o princípio”, destaca Luiz Henrique da Silva, presidente da UNICATADORES.

Para Leo Pinho, da UNISOL Brasil, a UNICOPAS está no caminho certo: “Cumprimos o primeiro passo fortalecendo a unidade de ação do cooperativismo solidário brasileiro, e o resultado foi a entrada da UNICATADORES, que trouxe a força da luta histórica dos catadores em todo o país”.