Unisol-espanha-maio-2017B

Durante o mês de maio a UNISOL participou de uma agenda promovida pelo Centro de Estudios Rurales y de Agricultura Internacional (CERAI) e pela Nexus Emilia Romagna (CGIL – Itália), envolvendo atividades sobre finanças solidárias e visitas técnicas. A agenda aconteceu em Valladolid e Valencia, na Espanha.

As atividades se inserem em um projeto de cooperação financiado pela região da Emilia Romagna, na Itália, por meio da Nexus, cuja finalidade é conhecer experiências de finanças solidárias da Banca Etica. A visita se desenvolveu também dentro do contexto de cooperação do CERAI, via CERAI Catalunha, e da Nexus Emilia Romagna com o Banco Comunitário Justa Troca, localizado no Rio Grande do Sul.

Participaram da programação Leo Pinho, presidente da UNISOL Brasil, e Nelsa Néspolo, presidente da Cooperativa Justa Trama e vice-presidente da UNISOL. A visita é parte do Termo de Cooperação assinado entre UNISOL Brasil, Nexus Emilia Romagna e Nexus Brasil, que prevê entre seus objetivos a criação de um Programa de Finanças Solidárias que possa ser implantado e multiplicado em outras regiões do país, considerado a experiência do Banco Comunitário Justa Troca, da UNISOL Finanças, a necessidade e apoio financeiro aos empreendimentos para capital de giro.

Como estratégia para fomentar cooperativas e empreendimentos filiados, a UNISOL desenvolve o Programa de Finanças Solidárias, cujo objetivo é incentivar empréstimos solidários, como fundo rotativos, moedas sociais e bancos comunitários. Criado em 2006, esse programa foi uma das experiências de fornecimento de capital de giro, especialmente para cooperativas industriais, possibilitando empréstimo de recursos a baixas taxas por meio do crédito cooperativo. Sua centralidade inicial foi promover estratégias para capital de giro e investimento para cooperativas industriais (fábricas recuperadas). Para o próximo período, a UNISOL Finanças irá impulsionar estratégias de fomento e apoio a fundos rotativos e bancos comunitários.

18620019_1942451619372482_60313906674971794_n“O intercambio promovido por Nexus e Cerai tem esse sentimento e atitude de promover a cooperação e a troca do que de melhor fazemos em cada um dos países e locais que estamos. No foco das finanças, a Banca Etica demonstra o quanto as boas experiências podem fortalecer e promover o bem viver, e nós por outro lado apresentamos os bancos comunitários com a experiência do Justa Troca, que promove a integração local e o desenvolvimento de uma comunidade. Nas conversas, nos seminários e nas reuniões fica claro que temos muito a construir, respeitando a realidade de cada local, e temos muito em comum quando se encontram os que querem um mundo mais justo e com dignidade para as pessoas. Foi bom apresentar as boas experiências brasileiras apoiadas com recursos internacionais e que seguem e se ampliam como no caso da Univens, da Nova Geração, da Justa Trama e do Banco Justa Troca. Importante conhecer as experiências da Livraria com Café, da Granja de Frangos ecológicos, dos produtos medicinais naturais e da Cooperativa de Leite em Valladolid, a cultura deste povoado bem como o entusiasmo no seminário nas Comissões Obreras. Em Valencia, junto à experiência de hortas urbanas com as mulheres migrantes africanas e o debate na Universidade de Direito, senti que realmente esse é um espaço para promovermos a solidariedade internacional e que o pensamento de Lula é mais real que nunca: A cooperação é o estágio avançado da consciência humana”, define Nelsa Néspolo.

“As três entidades – Nexus, CERAI e UNISOL – estão envolvidas em ações de cooperação desde a fundação da UNISOL São Paulo, em 1999, em ações conjuntas ou bilaterais, para fortalecer as iniciativas de economia social e solidária. No campo das finanças sociais, desde 2008 temos colaborado com a UNISOL no reforço de seu fundo rotativo. Além disso, juntamente com a Nexus Emilia Romagna, temos colaborado para ajudar a dar início, em Porto Alegre, ao Banco Comunitário Justa Troca. O desenvolvimento da economia solidária requer a existência de seus próprios instrumentos financeiros autônomos (fundos de solidariedade, bancos comunitários, cooperativas bancárias éticas), pois a lógica da globalização neoliberal, hegemonizada precisamente pelo capital financeiro, não favorece as necessidades financeiras dos projetos de economia popular alternativa”, avalia Gabriel Abascal, do CERAI. “Como organização social, trabalhamos também na Espanha no desenvolvimento desses instrumentos financeiros alternativos. Em particular, como a Nexus, somos sócios da cooperativa bancária ética de base social ítalo-espanhola FIARE Banca Etica, que no marco da realidade europeia quer consolidar esses instrumentos financeiros que favoreçam uma economia a serviço das pessoas”.

Para Sandra Pareschi e Sabina Breveglieri, da Nexus Emilia Romagna, é sempre bom quando parceiros históricos podem se encontrar, como no caso dessa missão na Espanha. “Desta vez o encontro temático e os intercâmbios sobre Finanças Éticas tiveram momentos para aprofundar temas mais gerais de Economia Solidária e sua relação com os processos transformativos da sociedade. Por isso quisemos favorecer seu caminho exitoso, que passa pela busca de apoio no sindicato (encontro em Valladolid, com as Comisiones Obreras) e nas universidades (encontro na Faculdade de Direito de Valencia). O interesse da Nexus em promover esse intercâmbio temático foi conhecer práticas de Finanças Éticas e Economia Solidária em diferentes contextos, como aqueles com visão mais focada no desenvolvimento comunitário (Justa Troca, no Brasil) e a promoção de atividades agroecológicas individuais rurais e urbanas (promovidas pela Prefeitura e FIARE Valladolid), sempre colocando ao centro a promoção humana e o contexto social, ambiental, econômico-transformativo, mas também equidade, responsabilidade, cooperação e participação”.

Ainda segundo Sandra e Sabina, para uma organização “sindical” como a Nexus é importante conhecer e transferir, quando possível, práticas alternativas ao modelo atual de desenvolvimento: “Economia Solidária e Fianças Éticas têm tudo a ver com um sindicato que quer defender a classe trabalhadora e cada pessoa enquanto indivíduos que possuem direitos individuais e coletivos. Pretendemos propor práticas de democracia participada, que visam, principalmente dentro da crise internacional, a uma saída para uma economia que valoriza as relações sociais, gera nova ocupação como forma de luta contra a pobreza e a exclusão social e promove o bem viver das pessoas e do meio ambiente”.

Para o presidente da UNISOL Brasil, Leo Pinho, a parceria entre as três entidades se fortaleceu diante dessa Missão à Espanha: “conhecemos diversas experiências de finanças solidárias e grupos produtivos de agricultura ecológica, orgânica, agregando novas tecnologias sociais para o fortalecimento da Economia Solidária brasileira”.

unisol-espanha-maio-2017A